Nos últimos anos, tem havido ênfase crescente na idade pré-escolar (2-3 a 5-6 anos), com pesquisas sendo direcionadas a esta faixa etária e autores apresentando relativo consenso sobre a importância desse período para o desenvolvimento do indivíduo. Intervenções têm sido desenvolvidas e testadas visando a promoção do desenvolvimento neste importante período do ciclo vital e, cada vez mais, se tem enfatizado a possibilidade de identificação precoce de crianças em risco para transtornos e outras dificuldades, o que permite a introdução de programas específicos de estimulação, tornando possível minimizar dificuldades futuras.

Pois bem, precisamos estar preparados para o desafio que trabalhar com a criança em idade pré-escolar nos coloca. Sobretudo, atuar com essa população, seja no contexto clínico ou na escola, caracteriza uma atuação em uma linha preventiva e de promoção de habilidades. Nesse sentido, é ponto de encontro entre atuações em saúde e educação. E profissionais em ambas as áreas têm seu papel e são importantes!

Quais são nossos desafios?

Bem, precisamos conhecer o neurodesenvolvimento, ter ciência de sua variabilidade e dos muitos componentes que o influenciam, que podem constituir fatores de risco ou de proteção. Também é necessário conhecer os principais transtornos e dificuldades que podem surgir na idade pré-escolar. Fundamental, ainda, é saber que determinadas habilidades cognitivas, nesta faixa etária, são pré-requisitos importantes ao desenvolvimento cognitivo, acadêmico e socioemocional em anos futuros.

O desafio maior, porém, talvez seja uma limitação de ordem prática (e acho que é justamente o que você deve estar se perguntando): Como avaliar crianças em idade pré-escolar? E quais intervenções existem (com evidência!) para o trabalho com crianças nessa idade?

 

Quais são as nossas possibilidades?

Possibilidades é justamente o que queremos oferecer no livro “Neuropsicologia com pré-escolares: avaliação e intervenção”. A ideia, desde o início, foi a de prover um manual que orientasse profissionais clínicos e da educação sobre aspectos conceituais e de ordem prática, oferecendo uma compilação de instrumentos de avaliação e possibilidades de intervenção (clínica e educacional) específicas para a faixa etária.

O livro é estruturado em 5 seções:

Seção 1 – Desenvolvimento da criança pré-escolar

Seção 2 – Avaliação da criança pré-escolar

Seção 3 – Indicadores precoces e transtornos do neurodesenvolvimento em pré-escolares

Seção 4 – Intervenções precoces-preventivas no contexto escolar

Seção 5 – Intervenções no contexto clínico – Estudos de caso

 

E qual a relevância do trabalho, baseado em evidência científica, com a criança pré-escolar?

A relevância é que podemos mudar a trajetória de desenvolvimento dessas crianças a partir da identificação precoce de dificuldades ou características de risco e da implementação de intervenções clínicas. Mais? A parceria com a Educação permite ainda a aplicação de intervenções precoce-preventivas e a promoção do desenvolvimento neste período fundamental da infância.

 

E você? Ficou interessado em conhecer a obra?

Convido-o para desfrutar conosco desses capítulos repletos de bom conteúdo, evidência científica e dicas de experts na área. E que o resultado final sejam melhores práticas direcionadas a nossas crianças!

Saiba mais sobre o novo livro da Coleção Neuropsicologia com pré-escolares acessando aqui.

 

Texto escrito por:

 

Isabela Sallum

Psicóloga e mestre em Medicina Molecular

Integrante do Instituto Lumina Neurociências Aplicadas à Saúde Mental