Diferentemente do transtorno somatoforme, que é uma condição nosológica específica, a somatização é caracterizada em um continuum de acordo com a forma com que é manifestada pelos sujeitos e frequentemente acontece de modo associado a outros quadros clínicos, como a depressão, os transtornos ansiosos, a epilepsia, dor crônica, entre outros.  Ela é revelada por meio de pensamentos e sentimentos conflitantes e angustiantes e que são comunicados e vivenciados por meio de sintomas físicos sem condição patológica subjacente que os explique (Coelho & Ávila, 2007). 

Frequentemente, os sintomas apresentados por pacientes que procuram os serviços de saúde, compelidos pela ideia de que a manifestação desses sintomas possa estar associada a alguma patologia que requeira intervenções médicas. Tais sintomas incluem queixas cardiovasculares, gastrintestinais, dermatológicas e respiratórias, bem como dor muscular, dores de cabeça frequentes, resfriados recorrentes, sudorese excessiva, fraqueza e dormência ou formigamento em algumas partes do corpo, entre outros (Derogatis, 1993).  

Já foi estimado que cerca de 16 a 50% dos atendimentos médicos realizados em serviços de atenção primária advêm de somatizações (. Em decorrência de como tais sintomas influenciam a percepção rebaixada do próprio bem-estar e saúde física e mental, bem como dos custos associados ao cuidado realizado dentro dos equipamentos de saúde e que é destinado a pacientes que apresentam somatizações, é importante e necessário melhor compreensão e reconhecimento de somatizações por parte dos profissionais de saúde, uma vez que lançar luz nessa problemática poderia resultar em benefícios para os pacientes e serviços. 

Para contribuir com a identificação e acompanhamento de manifestações somáticas, a Pearson disponibiliza para seus clientes a partir de agora a versão traduzida para o português do Brasil do Inventário Breve de Sintomas (BSI). O BSI é um instrumento de autorrelato que avalia nove dimensões de padrões de sintomas psicológicos, entre elas as Somatizações, por meio de 53 itens. É possível obter pontuações e interpretá-las por meio da normatização americana que fora derivada para pacientes psiquiátricos e/ou de outras áreas médicas, bem como para não pacientes, podendo ser utilizado para tomada de decisão nos mais diversos contextos em que é desejável conhecer o estado psicológico dos respondentes e monitorar o progresso do tratamento.

Quer utilizar esse instrumento? Acesse: https://www.pearsonclinical.com.br/bsi-inventario-breve-de-sintomas.html

Aplicação e correção online: testes.pearsonclinical.com.br

Gisele Alves – Psicóloga e mestre em Avaliação Psicológica pela Universidade São Francisco

Referências

Coelho, C.L.S., Ávila, L.A. (2007). Controvérsias sobre a somatização. Rev. Psiq. Clín, 34 (6), 278-284.

Derogatis, L.R. (1993). BSI Brief Symptom Inventory: Administration, Scoring, and Procedure Manual (4th Ed.). Minneapolis, MN: National Computer Systems.

Schreiber D, Kolb NR, Tabas G. (2000). Somatizing patients: part I. Practical diagnosis. Am Fam Physician, 61, 1073-1078.