Ansiedade matemática: quando estudar parece assustador!

Post_Pearson-26“Ai, eu detesto matemática. Passo até mal antes de uma prova!” Esta é uma frase que escutamos frequentemente, principalmente entre os adolescentes. Do ponto de vista cultural, há inclusive uma aceitação de que esta disciplina seja difícil e de “arrepiar os cabelos”. Mas para algumas crianças e adolescentes a matemática é tão aterrorizante que chega a ser fonte de uma ansiedade além do esperado.

NEUROPSICOLOGIA FORENSE: RUMOS PARA A ATUAÇÃO

Nos últimos anos o neuropsicólogo vem sendo cada vez mais solicitado a avaliar indivíduos em situação judiciais. Todavia, no campo teórico, a avaliação neuropsicológica forense ainda é um ramo em desenvolvimento, e muitos aspectos precisam ser melhor esclarecidos. Porém, iniciativas nesse sentido é o que não falta, uma vez que a demanda é bastante grande. Sendo assim, já existem algumas recomendações estabelecidas que devemos salientar para uma prática profissional ética e eficiente.

A importância das análises avançadas na avaliação da inteligência.

Post_S3-maio-28

Para além da definição clássica de “inteligência é a capacidade humana de solucionar problemas novos, a partir de informações previamente adquiridas ou disponíveis no ambiente”; considerando-a como índice clínico, a inteligência dá aos profissionais bem treinados a capacidade de investigar diversos aspectos da cognição de um indivíduo, e serve como uma base para guiar diferentes práticas: desde o primeiro momento da avaliação até quais intervenções são as mais indicadas para aquele caso específico.

Inventário de Habilidades Sociais, problemas de comportamento e competência acadêmica – SSRS

Conhecido pela sigla SSRS (Social Skills Rating System), o Inventário de Habilidades Sociais, problemas de comportamento e competência acadêmica –  – permite uma avaliação abrangente do repertório de habilidades sociais, além de oferecer indicadores de problemas de comportamento e de competência acadêmica em crianças de seis a treze anos.

Como o professor pode ajudar a identificar transtornos de aprendizagem em sala de aula?

Post_semana3-04

Os transtornos de aprendizagem podem ser definidos como dificuldades persistentes em uma habilidade acadêmica básica – leitura, escrita, ou matemática –  que tem início durante os anos de educação formal (DSM-5). Esses transtornos acarretam em prejuízo significativo na funcionalidade e no desempenho escolar, e as dificuldades não podem ser melhor explicadas por outros fatores – como deficiências sensoriais ou intelectuais.

A avaliação ecológica no ambiente escolar

Post-09

A avaliação ecológica coleta informações sobre a vida escolar e pessoal do aluno, focando em suas necessidades específicas no ambiente escolar como, por exemplo, uma criança que se destaca em matemática, mas possui dificuldades na leitura e escrita; também entende as prioridades da família em relação à aprendizagem do filho, sem deixar de lado os aspectos clínicos.

As estratégias para ajudar uma criança autista

Post_Autismo

O Transtorno do Espectro Autista (TEA) é um distúrbio de desenvolvimento que se caracteriza pela dificuldade na comunicação social e comportamentos repetitivos e estereotipados. Embora as pessoas com TEA partilhem essas dificuldades, cada uma será afetada com uma intensidade diferente dependendo do seu estado. Cada criança apresenta um nível de TEA: alguns são óbvios desde a primeira infância e outros são sutis e quase imperceptíveis.

Transtorno do Espectro Autista (TEA)

O Transtorno do Espectro Autista (TEA) ou Autismo, como é comumente chamado, sem sombra de dúvidas é um dos transtornos neuropsiquiátricos mais conhecidos e divulgados entre leigos. Encontramos facilmente filmes, documentários e matérias jornalísticas a respeito. O TEA passou a ser assunto das rodas de conversa entre amigos, do bate papo de domingo no almoço familiar, dos comentários nos posts das redes sociais. Por um lado, isso é excelente, pois as pessoas começam a falar e refletir sobre o tema. O conhecimento é o primeiro passo para diminuir o preconceito e aumentar a inclusão. Por outro lado, com o aumento da divulgação passou a ser fácil encontrar notícias falsas ou duvidosas sobre o tema. É possível até extrapolar e dizer que mesmo no meio acadêmico há a divulgação de informações duvidosas sobre o TEA. Qual o problema disso? Essas informações podem embasar a escolha de tratamentos e influenciar a compreensão sobre a causa, características entre outros, tanto dos profissionais quanto dos familiares.

Transtorno do desenvolvimento na terapia: como fazer?

Há algum tempo uma psicóloga me procurou querendo uma supervisão de um caso que ela começaria a atender na terapia. Era um caso bem interessante, mas também muito difícil à primeira vista. Se tratava de uma criança com suspeita de transtorno do neurodesenvolvimento. A criança tinha 10 anos, estava com dificuldade em acompanhar a turma, era agitada, muito ingênua e tinha dificuldades na vida diária, um perfil bem característico de alguns quadros de transtorno do neurodesenvolvimento. Ela me procurou, pois não sabia o que fazer na terapia, e você, saberia o que fazer? Conseguiria identificar pelo menos por onde começar?