MVT

O projeto surgiu da necessidade de dispor de mais instrumentos para a avaliação da memória de reconhecimento, considerando a importância da avaliação deste constructo no âmbito da avaliação psicológica pericial para Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

A elaboração do MVT foi um trabalho que envolveu profissionais de diferentes regiões do país, numa ação conjunta para disponibilizar um instrumento que fosse sensível à amostras de população com níveis educacionais desde o ensino fundamental, passando por ensino médio e superior, sendo o MVT um instrumento mais sensível para níveis educacionais mais baixos.

Esta ferramenta teve como grande idealizador o Sr. Ingo Güntert, a partir da observação dos profissionais da área que solicitavam mais medidas para o contexto do trânsito que considerassem estímulos específicos, normas para as distintas atividades da perícia psicológica de CNH, entre estas, normas para sujeitos não-condutores, candidatos a primeira habilitação, normas para renovação e mudança de categoria, condutores de categorias A, B, AB, C, D e E,  além de amostras gerais de contexto fora da coleta em avaliação para o trânsito. A pesquisa contou com a contribuição dos competentes profissionais do departamento de pesquisa e desenvolvimento da Casa do Psicólogo, e estudos realizados pelo Prof. Dr. Nelimar Ribeiro de Castro, e da neuropsicóloga e especialista no trânsito Felícia Pretto.

O Teste de Memória Visual para o Trânsito (MVT) caracteriza-se como um teste de memória de placas de trânsito no qual o indivíduo deve identificar placas de regulamentação, de sinalização e advertência previamente apresentadas e recordá-la após um determinado tempo. Objetiva investigar a memória visual de reconhecimento, que refere-se à capacidade para identificar um estímulo, informação ou objeto, como algo anteriormente já visto, retido por um breve período.

No manual são apresentados casos ilustrativos de correção do Teste MVT aplicado em contexto de avaliação pericial para obtenção da CNH e também aplicado dentro de sala de aula, objetivando servir como auxílio na correção, nas análises e interpretação dos dados. Há exemplos de correção apenas do teste MVT, e casos que englobam outros aspectos da cognição investigados na avaliação psicológica pericial para CNH.  Ressalta-se que a análise e escolha das técnicas e métodos utilizados na atuação profissional é função do Psicólogo. Especificamente em relação à testagem psicológica, é importante uma verificação inicial junto ao Sistema de Avaliação de Testes Psicológicos (SATEPSI) do Conselho Federal de Psicologia, para conferir se os instrumentos escolhidos apresentam parecer favorável para uso profissional.

Ivan Rabelo (autor).