Com o avanço da internet, os testes psicológicos, um dos principais instrumentos de trabalho dos profissionais de Psicologia, estão passando por um processo de banalização. Para evitar a disseminação indiscriminada desses testes e garantir a qualidade do trabalho de milhares de psicólogas (os) do país, o Conselho Federal de Psicologia, em parceria com o Fórum de Entidades Nacionais da Psicologia Brasileira (Fenpb), está lançando uma campanha nacional para conscientização de profissionais e estudantes.

O objetivo é defender o uso responsável e os bons resultados que podem advir da avaliação com utilização dos testes psicológicos.

O uso de testes psicológicos considerados desfavoráveis, segundo os critérios estabelecidos na Resolução CFP n.º 002/2003, é considerado falta de ética e o profissional pode responder administrativamente (Vários instrumentos de avaliação psicológica estão sendo divulgados em redes sociais e canais do YouTube).

A avaliação psicológica é uma atividade restrita a profissionais da Psicologia e os testes psicológicos são instrumentos de uso restritos  desses profissionais. Fica o alerta para a sociedade sobre os riscos decorrentes do emprego desses instrumentos por profissionais que não estejam habilitados e credenciados para esse fim.

A população e os profissionais devem comunicar os Conselhos Regionais de Psicologia sobre quaisquer irregularidades em relação ao uso indevido dos testes psicológicos.