Para Hoffmann (2005, p.22), a Psicologia do Trânsito constitui-se num “campo extremamente surpreendente no microcosmo do comportamento humano e na circulação viária, onde Psicologia Social, Psicologia Experimental e Psicologia Ambiental se encontram”. Um psicólogo do trânsito é especialista neste campo de atuação, cabendo a ele:

  • Desenvolver pesquisas como foco nos problemas psicológicos, psicofísicos, psicossociais no que tange aos problemas do trânsito;
  • Participar de programas voltados à prevenção de acidentes no trânsito;
  • Desenvolver trabalhos de educação no trânsito,
  • Estudar as implicações do alcoolismo e de outros distúrbios no contexto do transito;
  • Colaborar na elaboração, implantação de ações de engenharia de trafego;
  • Atuar em equipe multiprofissional;
  • Prestar consultoria e assessoria a órgãos públicos e privados;
  • Atuar como perito em fases de reabilitação ou readaptação profissional;
  • Colaborar com a justiça dentre outras funções.

Nesta grande abrangência de atuação, por diversas vezes o psicólogo do trânsito é facilmente lembrado pela aplicação de testes psicotécnicos para obtenção de CNH.  Trata-se de uma avaliação psicológica regulamentada por lei, focada em avaliar domínios específicos do sujeito, destacando as seguintes áreas:

  1. Tomada de informação;
  2. Processamento da informação e tomada de decisão;
  3. Comportamento;
  4. Traços de personalidade.

Clique aqui e saiba mais sobre os instrumentos da Pearson Clinical Brasil utilizados nesse contexto.