A dislexia do desenvolvimento é o transtorno específico de aprendizagem mais frequente e afeta em torno de 5,4% das crianças em idade escolar no Brasil. Indivíduos com este transtorno apresentam uma dificuldade persistente e inesperada na aprendizagem da leitura. Na prática isso significa que a dificuldade é persistente, a criança continua com dificuldades apesar de intervenção adequada, e inesperada, pois estamos falando de crianças com habilidades cognitivas globais normais.

Os principais déficits associados a dislexia do desenvolvimento são dificuldades no processamento fonológico, como por exemplo um tempo bem mais prolongado para parear os sons da fala (fonemas) com as letras (grafemas), dificuldades de manipular sons na memória operacional e ainda problemas em resgatar palavras no léxico (nosso dicionário mental). Ademais crianças com dislexia podem ter outras dificuldades, como de destreza motora fina, funções executivas e até mesmo problemas emocionais, como ansiedade de leitura. A identificação e estimulação dessas crianças são cruciais para um bom desenvolvimento cognitivo, emocionais e até físico.

Nesse sentido mais um volume da Coleção Neuropsicologia na Prática Clínica será lançado com o intuito de fornecer uma boa base teórica aliada a exemplos aplicados para o profissional da área. O volume “Dislexias de desenvolvimento e adquiridas: avaliação e intervenção” traz ainda um conteúdo sobre as condições adquiridas associada a dificuldade de leitura. Quadros adquiridos acontecem normalmente após acidente vascular cerebral (AVC), infecções no Sistema Nervoso Central, traumas ou ainda outras situações que envolvam lesões no cérebro.

Acreditamos que o livro será muito útil para profissionais que atendem uma ampla faixa etária. Adquira já o seu clicando aqui.